Joseph Beuys - Multiples - press release

Arte Moderna: Oportunidade Rara

A exposição Joseph Beuys - Multiples, inaugura a Galeria de Arte Theodor Lindner na segunda-feira, 26 de abril de 2004, às 18:30 hs na Rua Visconde da Pirajá, 444, loja 213, Ipanema. A obra do mundialmente conhecido Joseph Beuys foi até hoje muito pouco divulgada e exposta no Brasil. Por isto é uma homenagem justa para comemorar os 83 anos que o artista alemão completaria em maio deste ano. Poderão ser vistos cerca de 20 trabalhos de Beuys, que também estarão à venda. Os Multiples de várias fases do artista são característicos na sua obra, pois sintetizam o pensamento de Joseph Beuys, que é considerado também um filósofo da arte.

Beuys, Joseph (* 1921 - † 1986)

Joseph Beuys é um dos mais importantes artistas do século XX e, tanto quanto Pablo Picasso, Marcel Duchamp e Andy Warhol, teve grande influência sobre o desenvolvimento das artes plásticas e o rumo que seguiu a arte moderna.

Nascido em 12 de maio de 1921 em Krefeld, na Alemanha, Joseph Beuys sempre mostrou interesse pelas ciências naturais, música, escultura, história da arte e filosofia. Queria estudar medicina, mas foi convocado a servir na força aérea na Ucrânia durante a II guerra mundial. A influência desta experiência na sua obra pode ser observada tanto nos temas das doenças e das chagas, como nos materiais escolhidos: o feltro e a gordura freqüentemente por ele utilizados remetem à queda de seu avião em 1943, quando Beuys foi tratado por homens nômades da Tartária, que o esfregaram com gordura e o enrolaram em feltro, salvando assim a sua vida. Até o seu visual conhecido, sempre com um chapéu, era na verdade a proteção de um ferimento que sofreu na cabeça.

Depois da guerra Joseph Beuys estudou escultura na Academia de Belas Artes em Düsseldorf, onde também foi professor. Seu conceito de “arte antropológica”, tendo o Homem como centro e ponto de partida, abrangia as mais diversas esferas da atuação humana como sociedade, cultura, política e ecologia. Ele também participou da criação do partido verde na Alemanha.

A sua frase “todo Homem é um artista” ficou muito conhecida, porém nem sempre foi compreendida. Beuys entendia a vida e o universo humanos como “obra” em que todos atuam e a conscientização deste processo como a função da arte. Acreditar que cada pessoa tem um potencial criativo fez com que ele entrasse em conflito com o sistema de admissão seletivo na Academia em Düsseldorf, onde ele aceitava todos candidatos como alunos. Esta atitude lhe custou a demissão em 1972, mas seis anos depois Beuys foi readmitido na Academia de Belas Artes e veio a falecer em 23 de fevereiro de 1986, aos 64 anos de idade.

Joseph Beuys utilizou as mais diversas técnicas em seus trabalhos, deixando uma obra vasta de desenhos, artes gráficas e também performances. Só a pintura não teve um papel importante na arte de Beuys, que concebia a sociedade como a matéria-prima do escultor: o conceito de “escultura social” caracteriza a sua obra.

Os Multiples de Beuys são todas as obras apresentadas em diversas tiragens, como litografia, xilogravura ou gravura em metal, mas também a arte em objetos e até cartões postais. Dizia Beuys: “Os Multiples me interessam porque a multiplicação de idéias me interessa”. Neste sentido, os Multiples são bastante representativos na obra de Joseph Beuys, enquanto filósofo e artista.

A Galeria de Arte Theodor Lindner

Com a Galeria de Arte Theodor Lindner surge um novo fórum para a arte contemporânea no Rio de Janeiro. Apresentando artistas da Europa, especialmente a arte alemã, mas também a nova arte brasileira, o espaço se oferece como um território de intercâmbio artístico internacional. Theodor Lindner quer contribuir para a internacionalização das artes plásticas no cenário carioca, que ele vê reascender no mercado.


Theodor Lindner tem como objetivo principal trazer jovens artistas alemães ao Rio de Janeiro para iniciar o seu olhar sobre esta cidade, dando seqüência à tradição dos pintores viajantes. “Se no século XIX os pintores viajantes legaram uma influência estrangeira na iconografia da cidade carioca, hoje o olhar contemporâneo sobre o Rio de Janeiro encontra uma metrópole que já não precisa desta transfiguração da natureza pela arte; mas a cidade moderna certamente tem a ganhar com a visão dos artistas contemporâneos”, acredita ele. Como alemão radicado no Brasil e com a atenção voltada para a arte, Theodor Lindner certamente pode contribuir nesta ponte cultural.

Até o momento já vieram quatro artistas conhecer o Rio de Janeiro a convite de Theodor Lindner: Em 1999 Hans-Jörg Holubitschka, aluno do famoso Gerhard Richter, produziu expressivas paisagens. Suas telas de 8 metros quadrados com vistas do Rio foram expostas em Düsseldorf e tiveram grande sucesso no mercado. Um ano depois, Cornelius Völker pintou diversos cães que chamaram a sua atenção na cidade carioca e seus retratos conquistaram muitos admiradores na Alemanha. Em 2002 Michael Bach, também aluno de Gerhard Richter, esteve aqui e produziu pinturas realistas em grande formato da Baía de Guanabara. A última convidada foi Kerstin Franke-Gneuss, que veio ao Rio em 2003 e realizou gravuras em metal coloridas, onde transformou as diferentes atmosferas da cidade em impulsos abstratos.

“O projeto certamente terá continuidade”, promete Theodor Lindner, que já programou a vinda de um fotógrafo alemão, cujo trabalho pretende expor na Galeria de Arte Theodor Lindner ainda este ano. Estão previstas três a quatro exposições anuais, apresentando artistas com trabalhos individuais ou obras em torno de temas específicos.

Nascido em 1958 na Alemanha, Theodor Lindner tem formação em Letras, Literatura e Cultura com mestrado pela University of Califórnia e atuou muito tempo na área de educação. Há mais de dez anos começou como colecionador de arte e depois entrou no mercado comercial das artes plásticas, estando agora definitivamente envolvido com a arte contemporânea. Vivendo no Rio de Janeiro desde 1998, ele decidiu abrir a Galeria de Arte Theodor Lindner em Ipanema, apresentando como exposição de abertura, vinte Multiples do consagrado artista alemão Joseph Beuys, que merece ser mais conhecido no Brasil: Joseph Beuys - Multiples, segunda-feira, 26 de abril de 2004, às 18:30 hs.

zurück