rio concreto - press release

A exposição


A Theodor Lindner Galeria de Arte inicia o calendário de 2005 com a exposição: “RIO CONCRETO” cujo mote é a reunião de importantes nomes do concretismo na sua vertente carioca. A mostra coletiva é composta por obras de quatro artistas que se colocam em uma mesma estirpe concreta, porém com linguagens artísticas diferentes. Ascânio MMM, Paiva Brasil, Roma Drumond e Rubem Ludolf nos possibilitam o contato com obras que expressam a intersecção e a pureza da síntese e da forma, bem como evidencia a geometria sensível, característica da temática concretista, considerada o turning point da arte moderna. Faz-se mister que a Theodor Lindner Galeria de Arte, a exemplo da mostra realizada em meados de agosto de 2004, com o suíço Max Bill, o venezuelano Carlos Cruz-Diez, o brasileiro Almir Mavignier e o argentino Julio le Parc, representantes do concretismo internacionalmente conhecidos, aposta na excelência dos movimentos concretista mundial e brasileiro como também afina a relação entre eles.

A exposição apresenta quatorze peças cujas técnicas são variadas, dentre elas esculturas, pinturas e múltiplos, com preços entre R$ 2500 a R$ 27000.

Os artistas


ASCÂNIO MMM. O escultor, formado em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1969 e ex-aluno da Escola de Belas Artes nos anos de 1963 e 1964. Uma de suas últimas grandes exposições destaca-se “Piramidais IV” que aconteceu no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, em 1999/2000. Alguns de seus trabalhos destacam-se em lugares públicos centrais, tanto em cidades brasileiras, como no Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Teresina como em Tókio, no Japão, e em Lisboa e Fão, em Portugal. Desde 1959 reside e trabalha no Rio de Janeiro.

PAIVA BRASIL. Nascido em Campos dos Goitacazes, RJ, em 1930. Em 1942 vem residir no Rio de Janeiro, iniciando seus estudos de desenho no antigo Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro. Em 1954 freqüenta os cursos de “Desenho Estrutural e Composição”, com Santa Rosa, e “Pintura”, com Samson Flexor, no Museu de Arte Moderna /RJ. Dentre as exposições, salões e prêmios que acompanham a sua carreira, destaca-se a sua última exposição individual “Panorâmicas” no Museu de Arte Contemporânea de Niterói, RJ, em 2004.

ROMA DRUMOND. Nasceu em 1957, no Rio de Janeiro. Freqüentou cursos no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, na Escola de Artes Visuais, Parque Lage, tendo sido aluna de Aluísio Carvão e Rubens Gerchman. Destaca-se, dentre as exposições individuais e coletivas, a individual “Serial” no Museu Nacional de Belas Artes em 2000. Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

RUBEM LUDOLF. Nascido em Maceió, AL, em 1932. Pintor, arquiteto paisagista. Forma-se pela Escola Nacional de Arquitetura da Universidade Brasil, Rio de Janeiro, em 1955. Neste mesmo ano, freqüenta as aulas de Ivan Serpa no Curso Livre de Pintura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Integra o Grupo Frente entre 1955 e 1956. Entre as exposições das quais participou, destaca-se sua última mostra individual, em 2002, no Museu Nacional de Belas Artes. Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

A galeria

Nascido em 1958 na Alemanha e vivendo no Rio de Janeiro desde 1998, Theodor Lindner tem formação em Letras, Literatura e Cultura com mestrado pela University of California e atuou muito tempo na área de educação. Há quinze anos entrou no mercado comercial das artes plásticas, estando agora definitivamente envolvido com a arte contemporânea. Depois de abrir a galeria com a exposição Multiples de Joseph Beuys, Theodor Lindner juntou os concretistas sul-americanos Almir Mavignier, Carlos Cruz-Diez, Julio Le Parc e o suíço Max Bill, apostou na produção do brasileiro Heleno Bernardi e trouxe, na sua última exposição de 2004, uma mostra com catorze artistas do cenário da arte alemã pós-muro, transpondo alguns expoentes das duas Alemanhas num passeio pelas diversas linguagens entre fotografia, pintura, gravuras e objetos, todos produzidos nestes últimos 15 anos, desde 1989. E com a exposição “RIO CONCRETO”, a Theodor Lindner Galeria de Arte revela, através da produção desses influentes representantes cariocas, a importância e o valor da vertente construtiva brasileira.


Assessoria de Imprensa: Simone Katsuren

zurück